segunda-feira, 7 de junho de 2010

Sobre Bonecas e Anjos...


E quando ele não havia planejado nada se apaixonou por uma boneca de pano, nela havia um coração que não batia. De que serve um coração assim? Talvez ele servisse pra colorir de vermelho aquela que por vezes parecia estar tão triste, talvez o órgão não pulsasse mais por querer acompanhar aquele ritmo que quase não se ouvia de tão lento.
Sabe-se lá, e assim como anjos ele desejou novo ritmo para aquela vida de brinquedo, ele buscou rabiscar com uma caneta brilhosa o contorno de uma boca que quase não se via mais, ele destacou ali um sorriso e superficialmente a boneca já sorria. Faltavam ali cílios fortes para destacar os olhos negros que estavam ofuscados por um certo desânimo, alguns remendos naquela estrutura de pano e um bom banho pra livrar ela de toda sujeira acumulada durante aqueles dias empoeirados. Trabalho árduo para um jovem anjo, mas faltava algo e ele sentia. Se apaixonar por uma boneca de pano não era fácil, ela precisaria voltar a pulsar novamente. Será que ele teria que abdicar o seu próprio? assim como no sonho que tivera na noite passada? Ele até sugeriu pra o homem de branco, talvez um doutor de bonecas, que doaria seu órgão vital... Um sacrifício por amor!
Mas bonecas e anjos parecem tão irreais para aqueles que procuram sempre coisas concretas e práticas...vale dizer que ela não deixou ele doar o órgão, mesmo sabendo que ele possuía vários corações espalhados naquele corpo branco, havia o reflexo do amor nos olhos dele, no abraço que distribuía, nas inúmeras tentativas de fazê-la sorrir. Ela conseguiu junto com a essência daquele amor ir bombeando vida como uma transfusão do próprio amor, se recuperar. Ela começou a sentir uma saudade gostosa do que pode ser uma vida colorida, poder perceber que o brilho nos lábios havia voltado e que o tato que possuía continuara macio, ela poderia abraçar outra vez.
Assim como anjos e bonecas de pano a vida pode ser contada com metáforas, enigmas, contos, tragédias, canções e tantas formas que quisermos enxergá-la. Cabe no entanto, não focá-la como algo isolado dos acontecimentos tristes e alegres que passivamente ou não, seremos imersos. Ninguém sai ileso de sentir a dor e o amor. Ninguém é auto suficientemente adulto que não possa chorar ou rir por amor.
Que a vida seja doce na medida certa para cada um.
Boa noite meus anjos! ^^ Eu amo muiiiiiiito vocês.

PS: Carlinhos tô com saudades de tu cabeçaooo ;D

5 comentários:

João Átila disse...

Pois é, as vezes um sonho, nos diz coisas, que nem ao menos sabemos interpretar.
Doar-se é palavra, mesmo que exija sacrificio, para um anjo tão jovem ditas em belas palavras...
Talvez esse anjo seja apenas um bobo alegre, que ve o mundo de uma forma mais bela, em que a possibilidade para o amor, e a felicidade seja bem mais intensa e proveitosa.
Dia após dia, abraços após abraços, mensagens após mensagens...
O querer bem é dificil, mas só provem da verdade!

carlos disse...

Eu também tô com saudade de ti, sobrancelha de lagarta de pêlo!

Tay disse...

Pra mim foi o texto mais perfeito.
Mais completo e pronto, sem mais delongas.
Queria falar mais dele, mas estou de 'birra' porque alguém não me visita mais e está me devendo um post de aniversário.
Te amo minha margarida.
Beijoos!

N.A disse...

Amei, peguei a foto pro meu tumblr ok? valeu

Cristiny* disse...

Sem problemas...
Bjs
;)