sábado, 17 de julho de 2010

Do livro Comer, Rezar, Amar...

Incrível a sensação de pertencimento de algo que não é meu, mas que me cabe completamente. Demorei a acreditar que não fui eu...rs



"Mas eu sou inteiramente tragada pela pessoa que amo. Sou como uma membrana permeável. Se eu amo você, eu lhe dou tudo o que tenho. Dou-lhe o meu tempo, a minha dedicação, o meu dinheiro, a minha família, o meu cachorro, o dinheiro do meu cachorro, o tempo do meu cachorro - tudo. Se eu amo você, carregarei para você toda a sua dor, assumirei por você todas as suas dívidas (em todos os sentidos da palavra), protegerei você da sua própria insegurança, projetarei em você todo o tipo de qualidade que  você na verdade nunca cultivou em si mesmo e comprarei presentes de Natal pra você e sua família inteira. Eu lhe darei o sol e a chuva e, se não estiverem disponíveis, dar-lhe-ei um vale de sol e um vale de chuva. Darei a você tudo isso e mais, até ficar tão exausta e debilitada que a única maneira que terei de recuperar minha energia será me apaixonar por outra pessoa."

Sem mais por hoje, uma tarde deliciosa a todos!
E o amor?... amor!
;D

4 comentários:

strIgOi sAn disse...

É realmente estranha a sensação de nos identificarmos tanto com algo que alguem escreveu e acharmos que fomos nós que fizemos aquilo quem sabe em outra orbita, tive esta sensação pela primeira vez quando acreditei que tinha construido uma "identidade poética" e no dia seguinte li um poema do Oscar Wilde; parece muito com a forma que escrevo, ate meus amigos pensaram que fui eu que escrevi quando recitei para eles...

Cristiny* disse...

Digamos que foi uma sensação bem estranha rsrs me senti invadida por algo que nem foi meu kkkkk

Tay disse...

Fala sério, quem deixou você me descrever assim sem créditos?!
No meu livro, essa parte está grifada com lápis colorido, acho que noventa por cento das mulheres se identificam com ela, afinal, quem ama mais do que mulher?

Beijooos, saudades!

Leo disse...

Gostei desse post Cris! :D

[apesar de que me fez pensar em quem eu quero esquecer xD]

E Tay eu acho que quem ama é "uma" pessoa indiferentemente de ser mulher ou não, humanos....
São poucas pessoas que gostam tanto de alguém tão intensamente e sem ser dontio... Raramente esse tipo de gente chega a ser correspondido na mesma proporcão [meu caso (?) ;x]
Esse texto diz exatamente como eu e sentia com relação a alguém, por ela eu ia até o céu roubar uma estrela se fosse possível...


Beijos!
Att Leo