quinta-feira, 28 de julho de 2011

A todos os olhares.

Com a saudade teci uma prece
E preparei erva-cidreira no café da manhã
Ninguém vai me dizer o que sentir
E eu vou cantar uma canção pra mim."
                                                                                         Renato Russo


Quando mostrei minha alma embebida de lágrimas e um mundo amargo fiquei frágil e permiti a quebra do meu Eu para qualquer pessoa...me deixei invadir como uma pluma que se molha, pesa e não voa mais.
Humideci meu coração com o amargo da tristeza e quase o sufoquei de dor. Qualquer lágrima que viesse desbotava meus sonhos, esfriava minha alma.
Cada horizonte que se põe renasce em seguida, esperando só a noite adormecer e quando eu parar para sorrir não me ofusquem, não se incomodem se eu apagar a luz e voltar a cantar urbanamente. Permiti todas as janelas abertas, de dor a dor, mas hoje eu ofereço apenas ao meu coração uma canção para viver. Não quero pensar no que é certo, no que condiz todos os olhares pela janela. Eu só quero mudar meu dia.
Eu sinto saudades, sinto paz e sinto uma brisa que traz o meu cheiro de volta.

Com carinho!

4 comentários:

AlÂn sAymOn disse...

JA ESTAVA COM SAUDADES DE LER COISAS TUAS... MUITO BOM! SAUDADES!!!!!!!!!!!!

Taynná disse...

Eu penso que às vezes a gente precisa pesar mesmo, pra que quando vier a leveza a gente saiba reconhecer e pular do abismo pra voar.

Minha arengueira linda, tem um selo pra você no Sucrilhos!

http://sucrilhoseneuroses.blogspot.com/p/selos.html

Cristiny* disse...

Eu adoro a visita de vocês! Sempre presentes...
um beijaoo ;)

João Átila disse...

Que o claro se ponha sobre aquilo que insiste em escurecer, aquilo que nós temos de melhor em nós mesmo.
Sabe o que aprendi com a dor?
Passa, pode até demorar mais sempre vai passar.
Sabe o que aprendi com o dia de amanhã?
Temos sempre a escolha de sorrir, sempre!

"Eu posso escolher o meu caminho durante a vida?
Eu posso sonhar? Posso sentir?"

A reposta é Sim!